Clínica de Arquitectura

Defendemos que a prática de arquitectura não deve ser o desenho perfeito de intocáveis obras de arte. É a concretização de sonhos e a resolução de problemas. É a procura das melhores respostas para questões muito específicas. E esta é, normalmente, uma procura complexa, que envolve muitas variáveis e muitos especialistas.

Nós procuramos criar estas respostas de uma forma simples e bela.

Sonhos

Alimentamo-nos de sonhos. Acreditamos que todos têm direito a alcançar os seus sonhos, e estes são, para nós, bem mais inspiradores do que os livros de arquitectura.

Tudo começa com uma lista de desejos que nos permite entender as expectativas e os anseios dos nossos clientes, para que usos específicos e para quem se destina cada espaço, quais as estórias por trás de cada pedido. Visitamos o espaço de intervenção em conjunto, para melhor percebermos a relação dos nossos clientes com aquele local ou construção. E quando sentimos que é apropriado, convidamo-nos para sua casa de modo a percebermos o seu modo de habitar. Existem sempre desejos secretos escondidos, que apenas se revelam nesse momento. O processo continua com sessões de trabalho com os clientes, um processo de desenho conjunto.

Descobrimos que a prática usual de projecto e construção é muitas vezes demasiado agreste para a maioria das pessoas, que são incapazes de se sentir parte integrante do processo, ainda mais quando projectamos a sua casa, ou redesenhamos uma casa antiga que conheçam desde sempre, ou pela qual se tenham apaixonado. Pretendemos que os nossos clientes sejam parte do processo criativo, que tenham prazer com esse processo. 

Pretendemos que conheçam e habitem o seu edifício, muito antes da obra estar terminada.

Re-criar

Após décadas de crescimento, já temos espaço urbanizado e construído mais do que suficiente.

Décadas e séculos de construção, adição e transformação, acumularam muito material, e muitos significados. O principal objectivo é não perder tudo isto. Tentamos ser subtis, de modo a não destruir a substância e atmosfera que já existe nos espaços, e que nos fascina. Assim, cada projecto é a procura por um modo específico de nos relacionarmos os espaços e materiais existentes, respeitando-os, jogando com eles.

Todos os espaços têm uma estória. É apenas uma questão de aproveitar aquilo que outros fizeram para nós, e melhorá-lo.

Equipa

Nuno Travasso (Porto, 1980) é arquitecto e investigador, dedicando-se ao estudo do papel do projecto de arquitectura no processo de produção de espaço urbano contemporâneo. Integra, desde 2007, o Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo da Fac. de Arquitectura da Universidade do Porto, onde desenvolve a sua pesquisa. Entre 2010 e 2012 foi docente convidado na mesma faculdade. Entre 2003 e 2010, colaborou no gabinete do Arq. José Fernando Gonçalves. Em 2010, criou, com Pedro Geraldes, a Clínica de Arquitectura, onde desenvolve actividade projectual, procurando materializar a sua contínua pesquisa.
Pedro Geraldes Santos (Porto, 1981), sócio-fundador da Clínica de Arquitectura e especialista em reabilitação, frequentou o Colégio Alemão do Porto entre 1985-99, formou-se em arquitectura pela Fac. de Arquitectura da Universidade do Porto em 2007 e é pós-graduado em Reabilitação do Património Edificado pela Fac. de Engenharia da Universidade do Porto desde 2010. Entre 2005 e 2010 efectuou a coordenação de diversos projectos no reconhecido gabinete do Arq. José Fernando Gonçalves. 
O seu sentido empreendedor levou a que esteja também envolvido em múltiplos projectos ligados à inovação.
Dedica parte do seu tempo a apoiar, como voluntário, instituições como a Crescer Ser e a Fundação EDP, sempre muito focado no apoio a jovens e adora 'perder-se' no centro histórico da cidade do Porto.
João Pedro Machado Silva (Porto, 1981), sócio da Clínica de Arquitectura e especialista em reabilitação, é também proprietário de empresa de fabricação de protótipos e maquetas e colabora, desde 2008, com o Atelier da Bouça. Entre 2006 e 2008 colaborou no desenvolvimento do projecto do novo terminal de passageiros de Leixões no gabinete do Arq. Luís Pedro Silva. 
É pós-graduado em Reabilitação do Património Edificado pela Fac. de Engenharia da Universidade do Porto desde 2010, formou-se em arquitectura pela Fac. de Arquitectura da Universidade do Porto em 2007 e frequentou o Colégio Alemão do Porto entre 1985-99. 
Cinema e viajar são os seus grandes interesses.
Maria Margarida Leitão (Coimbra, 1985), colaboradora da Clínica de Arquitectura desde 2012, frequentou a Escola Secundária Avelar Brotero de Coimbra entre 2000-03, formou-se em arquitectura pelo departamento de Arquitectura da Fac. de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra em 2010 e encontra-se de momento a frequentar o Curso de Estudos Avançados em Património Arquitectónico pela Fac. de Arquitectura da Universidade do Porto. Entre 2010 e 2012 colaborou e efectuou coordenação de projectos no gabinete do Arq. Joaquim Portela. 
Gosta de viajar, de ir guardando memórias em blocos de papel e de sushi.
Sofia Granjo (Porto, 1985), arquitecta, distinguida com diversos prémios e Bolsas de Mérito académico, obteve o grau de Mestre em arquitectura pela Fac. de Arquitectura da Universidade do Porto em 2012. Colaborou com diferentes empresas entre 2008 e 2013, salientando-se o gabinete do Arq. José Fernando Gonçalves, o Departamento Municipal de Espaço Público de V. N. Gaia e a empresa Laborial SA, onde se especializou na concepção de espaços laboratoriais e hospitalares. É sócia-fundadora de uma incubadora, à qual dedica o seu gosto pelo desenvolvimento de novos  modelos de trabalho em comunidade segundo a premissa do coworking