Melgaço, 2014
Às vezes, tudo tem de mudar para que tudo fique na mesma.
A Vila Isolina é membro antigo da família. Precisava de uma vida nova: novas cores, mais luz, maior fluidez. No entanto, pretendia-se que não mudasse o seu carácter, a sua personalidade, as suas memórias.
Hoje, a casa parece que sempre foi assim. E no entanto, as estruturas do telhado, dos alpendres e dos tectos foram renovadas, os caixilhos reabilitados, uma saleta desapareceu para que a sala e a cozinha pudessem ser ampliadas e interligadas, uma casa de banho foi redesenhada e outra criada de novo, juntamente com a escada interior e a kitchenette do piso inferior.
Tudo se aproveitou: a porta de correr da cozinha é a antiga porta da sala; a banheira é a original, mas agora liberta dos muretes que a enclausuravam; os antigos mosaicos da casa de banho permitiram-nos prolongar o pavimento da cozinha; a banca e os tampos de mármore vieram de outra obra.
O mobiliário não é da nossa responsabilidade. São os móveis que já existiam na casa, temperados com IKEA e muito Custo Justo. Adorámos!
… e a lampreia estava deliciosa.
Obrigado Sílvia e Álvaro.

Dono de obra: Sílvia e Álvaro
Arquitectura: CdA (Nuno Travasso+Sofia Granjo+Margarida Leitão)
Estruturas: NCREP
Electricidade: J. Granjo
Empreiteiro: Weplan

Fotografias: a caixa negra